Crítica | Em Busca de Vingança

criticas, notícias

Apesar do nome e da presença do mestre da ação, Arnold Schwarzenegger, o filme “Em Busca de Vingança” (Aftermath), é um drama de tragédia, uma nova tentativa do Terminator nesse estilo.

Na história, Arnold Schwarzenegger interpreta um homem que perde a filha e a esposa em um acidente de avião, causado por um erro de um controlador aéreo. Sem esperanças de justiça, o pai vai em busca de vingar a morte de sua família.

Produzido por Darren Aronofsky, diretor que concorreu o Oscar por “Cisne Negro”, “Em Busca de Vingança”, não encontra em seu próprio diretor o mesmo peso e competência. Temos aqui Eliott Lester (Blitz), em um dos piores trabalhos de direção que já se viu no cinema.

A construção do clima é inexistente, o filme se mantém num mesmo tom pesado e gélido do início ao fim, parecendo ser um amontoado de cenas simplesmente jogadas uma atrás da outra, o que denota também um problema de montagem. A fraca direção deixa muito claras as dificuldades de Arnold Schwarzenegger para fazer drama. Chegando a ser até constrangedor ver a forma como ele chora as vezes.

Leia também:

5 Filmes para Ver no Cinema em Novembro

Entenda Porque Trocaram o Batman tantas Vezes

Sabemos que os talentos de Arnold são outros, ele sabe chutar traseiros para nos divertir e manda muito bem na comédia também, mas dramaticamente, ele nunca foi um Al Pacino ou nem mesmo um Sylvester Stallone. Porém, filmes como “Maggie: A Transformação”, mostram que com uma direção mais talentosa, e o grandalhão mais contido, pode se tirar melhores resultados dele.

O mesmo se vê na direção de atores do elenco inteiro, todos parecem sair de uma peça de teatro de baixo orçamento. Fato é, que a falta de desenvolvimento dos personagens também contribui para as atuações ruins.

Com um roteiro confuso e as vezes até infantil, o filme traz cenas totalmente ilógicas para o contexto, como a entrada do personagem de Schwarzenegger para ajudar a recolher os destroços do avião (WTF??), ou advogados se comportando de forma inexplicavelmente maquiavélica na FRENTE dos clientes.

Enfim, poderíamos enumera outros pontos como direção de arte e trilha sonora exageradas, mas já tivemos muitos detalhes problemáticos nesse filme. O longa parte de uma ideia arriscada (não necessariamente boa), e não consegue executá-la, entregando um resultado cansativo e desinteressante, que faria a maioria dos espectadores trocar de canal quando estivesse na TV.. Confira o trailer e nossa “Chuck Nota” logo abaixo.



 

Gostou? Deixe seu comentário e siga a gente nas Redes Sociais