Crítica | Suburbicon – Bem Vindos ao Paraíso

criticas, notícias

Repleto de grandes nomes na frente e atrás das câmeras, “Suburbicon – Bem Vindos ao Paraíso”, aposta nas surpresas e no lado sombrio das pessoas para instigar algumas reflexões importantes.

“Suburbicon: Bem – Vindos ao Paraíso”, se passa em um caloroso subúrbio americano no final da década de 50, com casas organizadas e confortáveis – um lugar perfeito para viver em família. Por trás da suposta tranquilidade, no entanto, há uma perturbadora realidade que leva o marido e pai de família Gardner Lodge (Matt Damon) a vivenciar o lado sombrio da cidade, que inclui traições, complôs, violência e vinganças.

Em pouco tempo de filme já se percebe um apuro técnico impressionante, não à toa, o filme vinha surgindo em algumas rodas de conversa como candidato a concorrer algumas categorias do Oscar. Suburbicon tem um excelente design de produção, que brinca com as cores fortes e vibrantes dos anos 50, em perfeita sintonia com a fotografia que sempre busca um clima de mistério, claramente inspirado nos grandes diretores do gênero como Alfred Hitchcok.

O filme engana por alguns momentos com a ideia de que vai tratar sobre racismo. De certa forma, o assunto é abordado sim, mas essa não é a principal função dessa parte da narrativa. Se analisado cruamente, o assunto paralelo parece até atrapalhar o enredo principal, cortandi a boa sequência de suspense, mas a verdade é que o racismo está no filme para mostrar o quanto o ódio e intolerância, cega as pessoas para o que está realmente acontecendo ao seu redor, e o diretor George Clooney (sim, ele mesmo…) trata de mostrar isso de uma forma muito literal, inclusive.

Leia também:

Confira a crítica de Bright,novo filme de Will Smith

10 Curiosidades Sobre o Filme Liga da Justiça

A ideia do lugar perfeito para se morar, também mostra um retrato fiel da realidade, e apesar de se passar em outra época, conversa propositalmente com o comportamento das pessoas atualmente, onde “sua opinião está certa, desde que se pareça com a minha”.

O roteiro dos irmãos Cohen e de George Clooney toca em algumas feriadas americanas, com muito humor negro. É interessante como se consegue equilibrar o drama e suspense das cenas com algumas piadas bem encaixadas durante a sequência. Existem algumas reviravoltas relativamente previsíveis, mas ainda deliciosas de acompanhar.

Matt Damon, Juliane Moore

George Clooney, que está dirigindo seu sexto filme, mostra que sabe o que fazer atrás das câmeras. As cenas são bem administradas, a edição caminha sem atrapalhar o que se pensou para o filme, mas o destaque ficou mesmo para a direção de atores. Um timaço que Clooney tem nas mãos, e conta com nomes tão grandes quanto o próprio. Nesse cast aparecem Juliane Moore (“Kingsman: O Círculo Dourado”), Matt Damon (“A Grande Muralha”) e até Oscar Isaac (Star Wars: O Despertar da Força), todos com atuações de alto nível, entregues ao texto e a proposta “amalucada” do longa.

Enfim, “Suburbicon: Bem – Vindos ao Paraíso”, flerta com o terror e suspense de baixo orçamento, além de reforçar a quase tendência ao humor desses tipos de gênero. O novo filme de George Clooney é diferente e não faz concessões para trazer mais público, um caminho corajoso, e válido, independentemente de que você goste ou não dos resultados. Confira o trailer e nossa “Chuck Nota”, logo abaixo.



 

 

Gostou? Deixe seu comentário e siga a gente nas Redes Sociais